‘Caminhada da vergonha’ punição inusitada em ilha indonésia

Fotos de dois turistas ocidentais acusados de roubo desfilando em uma “caminhada da vergonha” pelas ruas de uma pequena ilha da Indonésia tomaram conta das redes sociais

As imagens, que circulam nas redes sociais, mostram um homem e uma mulher estrangeiros – possivelmente australianos – caminhando escoltados por policiais na ilha de Gili Trawangan, situado na costa noroeste da Indonésia.

Eles tinham cartazes pendurados no pescoço com os dizeres em inglês: “Sou ladrão. Não faça o que eu fiz…!!!

O costume de humilhar em público os acusados de cometerem crimes é antigo. A origem exata dessa prática, no entanto, não está clara. A maior parte das “caminhadas da vergonha” acontece em Gili T, a maior e mais populosa das três ilhas do arquipélago.

O chefe do departamento de Turismo da província de West Nusa Tenggara, Lalu Muhamad Fauzal, disse em entrevista que a prática de promover o desfile dos acusados de terem cometido crimes nas ilhas, conhecida por “walk of shame“, surgiu a partir de um acerto entre os moradores e a polícia.

Seria uma forma de desestimular a prática de crimes.

Depois que as fotos apareceram nas redes sociais, publicadas originalmente na página oficial das ilhas Gili no Facebook, surgiram várias críticas de internautas sobre o ritual, chamado de “humilhante”, mas há quem apoie a ideia.

Essa punição é considerada benéfica se comparada com leis mais severas que o país apresenta. Estrangeiros frequentemente são executados na Indonésia. Eles costumam ser detidos na ilha turística de Bali ao tentar contrabandear drogas.

Fonte: BBC
Foto: Reprodução/Facebook

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.