Carcereiras são presas acusadas de fazer sexo com detento ‘Don Juan’

Duas agentes penitenciárias mantinham caso com detento; Elas abriam a cela do criminoso e o levava para uma sala reservada

A agente penitenciária Brett Robinson, de 33 anos, foi condenada a três anos de cadeia após ser considerada culpada de manter relações sexuais com um detento na cadeia do condado de Washington, no estado do Oregon (EUA).

Brett é a segunda carcereira condenada por fazer sexo com o detento Jang-Li Delgado-Galban, de 25 anos. Em março, Jill Curry, de 39, havia sido punida com quatro anos e dois meses de prisão por feito sexo 13 vezes com o prisioneiro.

Segundo as autoridades, Brett agia sempre da mesma forma. Ela abria a cela do criminoso e o levava para uma sala de controle da unidade prisional, onde mantinha relações sexuais com ele, colocando em risco a segurança da cadeia.

Em setembro do ano passado, tanto Robinson quanto Curry, pediram demissão após os casos virem à tona. Robinson trabalhou na prisão por cerca de um ano e meio, enquanto Curry era carcereira havia mais de uma década.

Fonte: G1

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.