Estrela de Rubinho fica na bunda segundo Hortência

Nova dirigente da CBB, Hortência ironiza “estrela” de Barrichello

Durante a cerimônia de posse do presidente Carlos Nunes, ontem, no Rio de Janeiro, Hortência, nova diretora do departamento feminino da Confederação Brasileira de Basquete, citou piloto Rubens Barrichello, da Brawn GP, ao desejar sorte ao novo comandante da CBB.

“Desejo sorte ao novo presidente. O basquete está precisando. Sorte é trabalho, mas é preciso ter estrela”, disse a ex-jogadora.

“O Rubinho Barrichello, por exemplo, tem estrela, apesar de muitos dizerem que não. O problema é que a estrela dele fica na bunda. Quando ele senta no cockpit, ela apaga”, completou a nova responsável pelo departamento feminino da CBB, gerando gargalhadas dos dirigentes presentes.

Iziane

Hortência disse que quer o retorno da ala Iziane à seleção feminina e não garantiu a permanência de Paulo Bassul à frente da equipe.

“Precisamos agora avaliar, tomar pé de como estão as coisas. Temos que pensar bem os prós e os contras, se vai continuar o técnico, se não vai, se a Iziane vai ser chamada”, disse.

“É claro que ela vai ser chamada”, acrescentou Hortência, primeiro nome confirmado pelo novo presidente da CBB, Carlos Nunes.

Iziane, maior estrela da nova geração do Brasil, foi cortada da seleção no Pré-Olímpico Mundial da Espanha, em 2008. Na ocasião, recusou-se a entrar em quadra em jogo contra Belarus, que poderia decidir vaga olímpica para o país em Pequim.

“Acho que faltou respaldo. Se estivesse ali por perto, não deixaria ela dar aquela entrevista. É difícil voltar atrás”, disse Hortência, referindo-se ao fato de a atleta ter falado que não mais trabalharia com Bassul.

No cargo, Hortência diz que quer conversar com outras ex-atletas, em busca de ideias.

“Vou tomar um café com a Paula, que tem uma experiência administrativa interessante. Falei com a Janeth na semana passada, mas vou procurá-la de novo”, disse, citando suas duas principais colegas na seleção campeã mundial em 1994.

Bassul não teve nenhuma conversa com a nova administração da CBB. “Ainda não tive contato oficial. Vou respeitar a decisão que for tomada”, disse ele, que comandou o Brasil nos Jogos de Pequim. A seleção não passou da 11ª colocação.

O técnico diz que não foi procurado neste ano pelo ex-presidente da CBB, Gerasime Bozikis, o Grego, para fazer o planejamento da seleção feminina.

“A última reunião que tivemos foi no final de 2008. Ele [Grego] ainda discutia a renovação do patrocínio com a Eletrobrás e não sabia com quanto iria contar para 2009 e que programação poderia fazer.”

O próximo compromisso da equipe será a Copa América, classificatória para o Mundial da República Tcheca-2010, em setembro, em Cuiabá (MT).

Além da possível alteração no comando da seleção, Hortência idealiza a criação de uma liga feminina, nos moldes da masculina –foi criado neste ano o Novo Basquete Brasil, campeonato independente, administrado pelos clubes.

“Não sei se temos condições de criar uma liga feminina já, se os clubes se interessam. Mas vimos como foi bacana no masculino. Vamos apoiar a iniciativa também no feminino.”

Fonte: Folha Online

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.