Naturista preso comparece nu a julgamento

O escocês Stephen Gough, 50 anos, foi considerado culpado por violar a paz de cidadãos britânicos e desacatar o tribunal após comparecer, completamente nu, perante o juiz. Gough, que é ex-integrante da Marinha Britânica, passou a maior parte da década passada atrás das grades por andar sem roupas por várias cidades do país.

Em dezembro do ano passado, depois de mais uma temporada na cadeia, o escocês foi preso menos de 60 segundos depois de deixar a prisão, por tirar as roupas na calçada. O juiz chegou a ameaçar prendê-lo cada vez que terminar uma sentença, caso este comportamento continue.

O julgamento de Gough foi interrompido até que um juiz pediu que uma folha de papel pardo fosse disposta no acento em que ele iria sentar, por ”razões de higiene”.

Em sua defesa, Gough afirmou que andar nu era uma “questão de liberdade individual” e insistiu que seu comportamento era “razoável”.

Mas o xerife Michael Fletcher já havia rejeitado o argumento do nudista e considerado-o culpado de se portar de forma inadequada por se recusar a se vestir e por perturbar a paz em 20 de julho deste ano.

Gough afirmou que aceitava o fato de que poderia passar o resto de sua vida na cadeia – desde que pudesse desfrutar de alguns segundos de liberdade ao fim de cada pena. O escocês chegou a recusar uma oferta de voltar para sua terra Natal e ver sua mãe, por não querer usar roupas para viajar até lá.

Gough ficou famoso depois de ter caminhado da Cornuália, no sul da Inglaterra, até o outro extremo da Grã-Bretanha, em John O’Groats, na Escócia, depois de abandonar sua profissão como motorista de caminhão. Ele vem sendo seguidamente preso do lado da prisão de Perth, na Escócia, logo após ter cumprido cada uma de suas sentenças, por se recusar a se vestir.

Fonte: Daily Mail / O Dia

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.