Parlamento de país africano aprova lei que proíbe o uso de minissaias

Proposta ‘antipornografia’ ainda precisa de sanção presidencial, mas já repercute em todo o mundo

Parlamentares de Uganda aprovaram um projeto de lei controverso que proíbe o uso de minissaias no país. A legislação “antipornografia”, que também torna proibidos conteúdos notoriamente sexuais em músicas e vídeos, foi colocada em votação após um curto debate.

Quando Simon Lokodo, o ministro da Ética e da Integridade, sugeriu o projeto de lei neste ano, disse que mulheres usando “qualquer coisa (vestidos ou saias) acima do joelho” deveriam ser presas. O projeto ainda precisa ser aprovado pelo presidente antes de se tornar lei.

Uganda é um país conservador em questões sociais. A nação também aprovou, por exemplo, outro projeto de lei para punir atos homossexuais com a prisão perpétua.

Segundo o jornal Monitor, de Uganda, a nova legislação pode banir materiais que mostram seios, coxas e nádegas ou que mostrem qualquer comportamento erótico que possa causar excitação sexual.

Fonte: BBC Brasil

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.