Por carência, jovens chineses passeiam com repolhos em público

A China é o maior país da Ásia Oriental e o mais populoso do mundo. Com tanta gente, a carência não tem espaço, correto? Errado.

Jovens chineses se inspiraram na série ‘Walking the Cabbage in Tiananmen’ – Andando com o Repolho, em tradução livre – do artista e fotógrafo chinês Han Bing, e causaram polêmica durante o festival de música MIDI, realizado em Pequim, neste final de semana.

A ideia foi simples: diversos jovens pegaram repolhos, amarram em coleiras ou mesmo apenas com uma corda e foram para o evento, arrastando seu novo “amigo”.

É como se eu tivesse me livrado de todos esses sentimentos junto com o vegetal”, contou um dos jovens.

No mesmo dia, a “notícia bizarra” estampou diversos tabloides ingleses e mundiais. Segundo psiquiatras procurados, os jovens se sentem tão sozinhos e tão simples quanto um repolho que começam a agir como um e até fazem amizade com o vegetal, facilitando sua aceitação e sendo o estopim para uma mudança. No Brasil, jornalistas chegaram a associar tal comportamento dos jovens chineses, como uma tendência já decorrente em capitais como SP e RJ.

Recebemos aqui no Notícias Bizarras, diversas contribuições a respeito, mas como já imaginávamos, tratava-se apenas de um viral.

Bing, o artista por trás das imagens, é especialista em fotografia e arte performática. Sua intenção é ‘que as pessoas vejam o quanto de nossas vidas diárias são rotinas que nos cega’. Veja mais fotos.

han bing - arte repolho

han bing - arte repolho - 2

Solidão

Essa parece ser uma palavra recorrente e uma constante no comportamento das pessoas no século XXI, o século onde o ser humano nunca esteve, teoricamente, mais conectado aos seus semelhantes em toda a sua história, através do mundo digital da Web e das redes sociais. Na China, os usuários de internet são constantemente monitorados pelo governo, este por sua vez, acaba sendo o “elo mais próximo” de cada cidadão chinês conectado, infelizmente.

Curiosidade

O repolho era o alimento básico dos operários contratados para construir a muralha da China.

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.