Prefeito na Itália proíbe populares de morrer

De acordo com o prefeito Giulio Cesare Fava, a situação teve sua origem em 1964, quando Falciano se emancipou do município vizinho de Carinola.

A cidade vizinha permaneceu, no entanto, administrando o cemitério, que ainda abriga os mortos das duas cidades.

Mas elas divergem quanto à expansão do cemitério atual.

Diante do impasse, o prefeito decidiu criar o que chamou de uma medida ‘provocativa’, na qual afirma ser ‘proibido para os moradores ir além das fronteiras da vida terrestre e passar para o além”.

Ele garante que sabe que o problema é muito sério. “A situação é terrível. Os moradores estão fazendo uma ‘revolução popular’, com abaixo-assinados. Pelo menos alguns proprietários de terra estão me oferecendo terrenos para um provável novo cemitério”, afirma. Ele já tem o projeto para a nova “última morada” de seus habitantes pronto, mas ainda não obteve as autorizações para o início das construções.

Como no nosso mundo leis são feitas para serem violadas, dois idosos já morreram desde que o prefeito anunciou o decreto antióbito.

Fonte: BBC / lMessagero.it / O dia Online

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.