Presidente nigeriano envergonhado pune seleção de seu país

O presidente nigeriano Goodluck Jonathan anunciou em comunicado nesta quarta-feira que suspendeu a seleção de futebol do país de competições internacionais pelos próximos dois anos após o fraco desempenho da equipe na Copa do Mundo da África do Sul.

“O senhor presidente determinou que a Nigéria abandone as competições internacionais de futebol pelos próximos dois anos para que o país possa reorganizar o seu futebol”, anunciou Ima Niboro, assessor especial do presidente nigeriano.

“A diretiva se tornou necessária após o pobre desempenho da Nigéria na Copa do Mundo da Fifa”, completou o assessor de Goodluck Jonathan.

Campeã olímpica de 1996, a Nigéria ficou na última colocação do grupo B da Copa do Mundo ao perder duas partidas para Argentina, por 1 a 0, e Grécia, por 2 a 1, além de empatar na última rodada com a Coreia do Sul por 2 a 2, ficando fora das oitavas de final.

O porta-voz do presidente também anunciou que também estão sendo acompanhadas as acusações de corrupção envolvendo a preparação da equipe para disputar a Copa do Mundo. Segundo Ima Niboro, os fundos voltados para a Federação Nigeriana de Futebol serão examinados e haverá punição a todos envolvidos na suposta irregularidade.

O presidente da federação, Ademola Olarije afirmou à agência Associated Press que não tinha informações sobre a suspensão. “Não temos nenhuma diretiva. Não temos nenhuma carta”, disse o dirigente.

Os nigerianos não conseguem uma vitória em Mundiais desde 1998, na França, tendo duas derrotas e um empate em 2002 e o fracasso na tentativa de classificação para a Copa do Mundo de 2006.

A Nigéria demitiu o treinador Shaibu Amodu em fevereiro e o sueco Lars Lagerback foi contratado quatro meses antes da Copa do Mundo, mas a escolha por Lagerback sempre foi questionada pela imprensa do país.

A federação de futebol ainda teve que pagar US$ 125 mil em multa pelo cancelamento das reservas do Hotel Hampshire em Durban, na África do Sul. De acordo com os nigerianos o hotel de três estrelas era barulhento, infestado de mosquitos e inseguro.

Os nigerianos terminaram a Copa do Mundo com a 27ª campanha, superando apenas Argélia, França, Honduras, Camarões e Coreia do Norte. A decisão do mandatário da Nigéria pode causar problemas para o futebol do país, já que a Fifa não aceita intervenções de governos em federações de futebol.

Fonte: AP

Comentar

    Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site.